26.10.17

Estou de volta, com uma mão cheia de novidades

Um mês sem escrever por aqui e uma mão cheia de novidades.
A minha vida deu uma volta gigante, e muita boa.

Faz hoje precisamente um mês, que eu e o João viemos viver juntos, e esta é a grande novidade de todas. Foi uma decisão sobre a qual reflectimos quando voltamos de férias, e quando chegamos à conclusão que era a melhor escolha, decidimos avançar. Desde Agosto que andamos numa correria de obras e outros afins, cujo processo foi relativamente moroso e difícil, pois houve aquela ansiedade de querer ver tudo pronto rapidamente e de não vermos a hora de dividir a nossa vida por inteiro. Contudo dois meses e pouco depois cá nos encontramos, finalmente a viver a nossa vida no nosso espaço. Este primeiro mês foi uma fase louca de adaptação: viver longe dos pais, ter de cozinhar (quando não o sabia fazer), organizar a casa à nossa maneira, criar novas rotinas... Uma fase louca, mas muito boa, pois foi passada com o amor da minha vida, e isso torna tudo na melhor fase da minha vida.

Este mês fiz 24 anos, e participei na organização do primeiro fórum de estágios de educação social na minha faculdade, do qual fiz parte do secretariado, foi uma experiência muito enriquecedora, que me permitiu conhecer o outro lado deste tipo de eventos.

Outra das novidades tem a ver com o meu estágio curricular do terceiro ano. Finalmente poderei fazer um trabalho prático, de terreno, num local escolhido por mim e pelo meu par de estágio, a minha amiga Rita. O contexto foi da nossa preferência, bem como os actores sociais: famílias. Creio que vão ser oito longos meses, de conhecimento e aprendizagem, de reflexões, que nos irão permitir ter um olhar mais crítico e diferente sobre as coisas.

Prontas, para acompanhar este nova fase da minha vida?

23.9.17

Menorca | Curiosidades


Arrisco-me a dizer que Menorca é o paraíso na terra. É uma ilha pacífica, e se é paz e tranquilidade de que estás à procura, para descansar a mente do stress do dia-a-dia, Menorca é o sítio ideal. Possui Calas (praias) fantásticas e é um sítio onde podemos observar a natureza em estado puro, onde podemos respirar o que de melhor a vida tem para nos dar. É um sítio que pretendo voltar a visitar, sem dúvida!
Aqui estão algumas coisas sobre Menorca:
  • É a segunda maior ilha do arquipélago da baleares (Maiorca, Menorca, Cabrera, Formentera e Ibiza);
  • Localiza-se no mar Mediterrâneo;
  • Tem cerca de 92.000 habitantes;
  • As principais cidades são Mahon e Ciutadella;
  • A capital é Mahon, embora Ciutadella tenha sido a primeira capital.
  • A Ciutadella foi a cidade que visitei pois era relativamente perto do hotel onde fiquei hospedada. Esta cidade possui uma linda catedral, de visita obrigatória, e fantásticas praças (não tirei fotografias, porque sempre que lá fui já era de noite). É repleta de vielas e tem um ar medieval mediterrânico que a caracteriza;
  • Para conhecer bem a ilha o ideal é alugar um carro, para não estar limitado pela mobilidade;
  • Possui uma rota que se pode percorrer a pé, de bicicleta ou de cavalo, o Cami de Cavalls, que conta com 220 quilómetros de comprimento. Este caminho permite percorrer algumas partes da ilha, sendo que outras estão proibidas pelos donos de alguns terrenos. Pude percorrer parte deste caminho quando visitei a Cala Mitjana;

20.9.17

Q&A | As respostas

Desde já quero agradecer a todas as pessoas que me fizeram perguntas e aqui estão as respostas que vos irão permitir conhecer-me um bocadinho melhor. 

15.9.17

Testemunho: pelos caminhos da faculdade

(fotografia da minha autoria)
Contextualizando: Hoje, na minha rotina diária pelo youtube, a ver um dos típicos "regresso às aulas"- pois é, as aulas estão aí à porta- deparei-me com um comentário sobre o facto de uma rapariga, que está a acabar o secundário, não querer ir logo para a faculdade e que isso a iria prejudicar, porque na opinião das pessoas ela ia perder o ritmo.

Na minha opinião, que fui para a faculdade três anos após ter terminado o secundário. Ir para a faculdade foi algo complicado, pelo simples facto de ter sido obrigada a repetir um exame que me dava o acesso à faculdade, porque o exame que fazemos no secundário tem uma validade de dois anos. Repetir esse exame foi difícil, porque não tinha aulas à três anos e- por opção minha, que não quis voltar à escola para assistir às aulas da disciplina que ia ter exames- estudei sozinha em casa. Foi uma jornada complicada, já não me lembrava de grande parte da matéria, mas com esforço e dedicação consegui.
Outra coisa que achei complicada, nisto de voltar a estudar, foi o ter aulas, fazer trabalhos, testes, recuperar esse ritmo que tinha deixado para trás e isto foi ainda mais atribulado, porque se há algo que aprendi no secundário, com certeza não foi sobre o que fazer numa faculdade, o secundário não nos prepara para a vida, não nos prepara para a faculdade, só nos prepara para os exames- e mal- e depois disso? Falo pelo menos pela minha experiência. Não sabia estudar em condições, não sabia fazer resumos- porque lia as páginas dos livros e já estava, mas na faculdade não há livros, há o que os professores vão dizendo nas aulas e montes de textos para resumir- não sabia fazer trabalhos- o que raio eram referências bibliográficas finais, ao longo do texto, o diabo a quatro- e não sabia fazer apresentações orais sem ler tudo o que dizia no papel- duas horas depois e com a turma a dormir tinha acabado de apresentar o trabalho. Toda esta aprendizagem e adaptação a um mundo académico completamente diferente, foi também uma jornada difícil. Mas mais uma vez, com esforço e dedicação consegui, aprendi, tornei-me melhor estudante e numa pessoa mais crítica, reflexiva e com voz.

Se é difícil? Claro que é. Impossível? Não. Quando se quer, quando se acredita, tudo se consegue. Nunca é tarde para estudar, nunca é tarde para aprender. Na verdade a aprendizagem é e deve ser um processo contínuo.
Dois anos depois- com boas notas- aqui estou eu: FINALISTAAAAAAA!